segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Dia de Campo Projeto Girolando Genética Aditiva

No último sábado (28/10), foi realizado o Dia de Campo Projeto Girolando Genética Aditiva na Fazenda Cabeceira do Prata, em Jardim – MS. O evento foi realizado pela equipe Genética Aditiva e o Núcleo dos Criadores de Girolando de Mato Grosso do Sul, tendo sido apresentadas pelo proprietário Eduardo Folley Coelho e o Zootecnista Flávio Sandim, todas as atividades pecuárias e de turismo sendo esta última uma atração mundialmente conhecida e realizada no Recanto Ecológico Rio da Prata. Destaques para a flutuação na nascente do rio olho D’água e a Lagoa Misteriosa. Participaram do evento mais 40 pessoas, entre criadores, técnicos, acadêmicos e colaboradores. 





                         








terça-feira, 17 de outubro de 2017

Produtores de leite pedem ao ministro Maggi a regulamentação das importações do Uruguai

Mais de mil produtores de leite iniciaram a semana reivindicando melhores políticas governamentais para fortalecer o segmento que enfrenta uma das maiores crises das últimas décadas em decorrência do baixo preço recebido pelo litro do leite. Com a presença do ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, de diversos políticos e lideranças do setor, os produtores realizam o Manifesto S.O.S Leite nesta segunda-feira (16/10), em Prata/MG. A Girolando foi representada pelo presidente da entidade Luiz Carlos Rodrigues e pelos diretores José Antônio Clemente, Magnólia Martins e Guilherme Marquez. Entre as reivindicações apresentados ao ministro está a redução do volume de leite importado do Uruguai. Em 2016, o Brasil foi o destino de 86% do leite em pó desnatado e de 72% do leite em pó integral exportado pelo Uruguai. 

Segundo o presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, Luiz Carlos Rodrigues, os produtores apresentaram ao ministro a grave situação da produção de leite no Brasil e pediram a regulamentação das importações de forma que o mercado interno não seja mais prejudicado. “O custo de produção é maior que o valor recebido pelo produtor e a grande entrada de leite do Uruguai só piora a situação”, diz Rodrigues. Enquanto o preço médio nacional pago ao produtor em setembro foi de R$1,13 (com vários Estados pagando menos de um real), o custo de produção está em torno de R$1,30. Hoje, o setor emprega mais de cinco milhões de pessoas.

Para o coordenador da Câmara de leite da Organização das Cooperativas do Brasil (OCB), Vicente Nogueira, o ministro teve uma demonstração clara do quanto o setor está mobilizado na defesa de melhores condições para produção. “Ninguém deseja proibir totalmente as importações, mas esse mercado precisa ser organizado, ou seja, ter um volume mínimo e máximo para a entrada do leite do Uruguai para que o mercado interno não seja afetado.”, ressalta Nogueira. Segundo ele, a pecuária leiteira passa pela maior crise já vivida. “Não adianta ter balde cheio e bolso vazio. Quando o produtor decidir cruzar os braços em razão de não ter mais condições de produzir o que será do país? Estamos preparados para ir à Brasília com milhares de produtores para entregar nosso pleito ao presidente Temer.”, garante o representante da OCB.

Eduardo de Carvalho Pena, vice-presidente Faemg e presidente Comissão Técnica de Leite, lembra que essa é uma reivindicação feita pelo setor há mais de 10 anos. “Não queremos fechar as portas do mercado comercial na América do Sul, mas a importação precisa ser regulamentada. Da mesma forma que para a Argentina existe uma cota em torno de 4.500 toneladas/mês, para o Uruguai também deve existir. Hoje, essa importação é predatória para os produtores brasileiros, principalmente Minas Gerais que é o maior produtor de leite do Brasil. Até o mês passado já tinha entrado mais de 100 mil toneladas de leite do Uruguai. É um número gigantesco, como se estivesse abrindo uma grande empresa no país.”, diz Pena.

Os produtores ainda pedem que o governo brasileiro investigue se realmente há triangulação nas importações feitas do Uruguai, para que o leite da Europa entre no Brasil via Mercosul, sem ser tarifado. O ministro disse que o assunto é bastante complexo, que envolve mercado interno e externo. “Estive com o presidente Temer semana passada, reportando a ele o grau de dificuldade que temos no setor. Nosso desejo é ter uma cota com o Uruguai. Não reclamamos do volume, mas da forma como o leite entra no Brasil. A culpa não é do Uruguai, mas sim dos importadores que entram e saem do mercado quando querem derrubando os preços no mercado interno. O presidente Temer fica um pouco inibido neste momento por ser também presidente do Mercosul, mas cabe a ele discutir isso dentro do Mercosul. A posição do Mapa será sempre em defesa do produtor.” , disse Maggi, que suspendeu as importações do Uruguai este mês. Segundo ele, será difícil manter a medida por muito tempo, mas esta semana haverá uma vistoria no Uruguai para verificar se há realmente uma triangulação nas importações.


















Fonte: http://www.girolando.com.br/index.php?paginasSite/noticia,37,2915

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Genética Aditiva e Girolando MS promovem Dia de Campo na Fazenda Cabeceira do Prata

A Fazenda Cabeceira do Prata, localizada em JardimMS, recebe no dia 28 de outubro, a partir das 10 horas, o dia de Campo Projeto Girolando Genética Aditiva. 

O evento, promovido em parceria entre o Núcleo de Criadores de Girolando do Mato Grosso do Sul (NCGMS) e a Genética Aditiva, tem como objetivo apresentar o modelo de produção adotado pela empresa de melhoramento genético e suas peculiaridades produtivas​.

Primeiro Dia de Campo promovido pela atual diretoria, a iniciativa integra a ação de interiorizar a raça Girolando no Mato Grosso do Sul. 

"Isso é possível através de alianças estratégicas com criadores nas suas regiões que participam de Exposições. Este ano realizamos Exposições Ranqueadas da Raça Girolando durante a EXPOGRANDE, na EXPOCAM - Camapuã, na EXPONAM - Nova Andradina, na FECIR - Miranda, na EXPOPAR - Paranaíba e na EXPOMS- Campo Grande agora em Setembro último. Com estas ações estamos unindo os produtores criadores, valorizando a raça e integrando as regiões", revela Marcelo Renck Real, presidente do NCGMS.

Marcelo Real acrescenta ainda que "a qualidade do rebanho e do trabalho desenvolvidos pela Genética Aditiva através da Fazenda Cabeceira do Prata ​tem alta eficiência e rusticidade, o que garante um rebanho produtivo e adaptado às várias situações as quais um rebanho leiteiro enfrenta no dia a dia! Certamente será uma excelente oportunidade para troca da experiências".

Estão confirmadas palestras com representantes da Genética Aditiva e com a Dra. Aurora T. Cinato Real que irá falar sobre a evolução da raça no Mato Grosso do Sul e também no Brasil.

O evento é direcionado aos pecuaristas, estudantes da Medicina Veterinária, Zootecnia e Agronomia bem como técnicos Agrícolas envolvidos com a Pecuária Leiteira do Estado. 

Estão disponíveis 50 vagas. As inscrições podem ser realizadas pelos telefones (67) 3342-9287, 3342-2173, pelo celular (67) 98152-1307 ou pelo e-mail: nucleogirolandoms@gmail.com.













Fonte: http://noticiasdapecuaria.com.br/noticia/genetica-aditiva-e-girolando-ms-promovem-dia-de-campo-na-fazenda-cabeceira-do-prata#.WdkopckCdes.facebook