segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Campo Grande / MS

ExpoGrande 2011

Segue a programação do Núcleo dos Criadores de Girolando de Mato Grosso do Sul para a Expogrande/2011, bem como o valor referente a participação dos criadores , definido em reunião extraordinária da Diretoria, realizada em 22/02/2011.

Solicitamos aos interessados que providencie suas inscrições o mais rápido possível, para definirmos os pavilhões.

PROGRAMAÇÃO:
PERÍODO DA EXPOSIÇÃO :
14 a 24/04/2011

TORNEIO LEITEIRO :
De 17 a 20/04/2011, com ordenha às 06h, 14h e 22h

JULGAMENTO DA RAÇA :
21/04/2011 – das 07h às 18h
22/04/2011 - das 07 as 12 hs

LEILÃO :
23/04/2011, a partir das 13h

PALESTRAS:
Dia 20/04/2011, das 19h às 21h30
Dia 24/04/2001, às 09h às 10h

INSCRIÇÕES
PERÍODO:
01/03/2011 a 04/04/2011, diretamente no Núcleo.

Informamos que o projeto do MAPA ainda não foi aprovado e tem poucas chances de sê-lo até o evento, portanto será cobrada Taxa de Inscrição por animal no valor de R$ 100,00 (incluindo o valor da argola e participação na pista de julgamento).

Esclarecemos ainda que o Núcleo subsidiará a diferença do valor cobrado pela Acrissul de R$ 150,00/ animal, referente a argola , participação no Julgamento, pagamentos dos juízes e fornecimento de troféus.

O fornecimento de Silagem, não terá custo adicional para o expositor inscrito, também subsidiado pelo Núcleo.

Estamos ultimando parcerias, com vistas ao pagamento da alimentação dos tratadores, bem como ajuda no pagamento do frete, o que será comunicado oportunamente.

Para participação no torneio leiteiro, haverá uma Taxa de Inscrição de R$ 50,00 por vaca.

Convocamos a todos para participação nas reuniões mensais do Núcleo, informando desde já que a próxima será realizada no dia 14 DE MARÇO DE 2011 e a pauta principal será novamente a EXPOGRANDE 2011.

Estamos a disposição para quaisquer esclarecimentos e abertos a participação de todos, com novas ideias e sugestões.

Mercado do Leite

Carta Leite
Scot Consultoria


A Carta Leite é um informativo que busca levar informações geradas e analisadas pela Scot Consultoria.

Esperamos, com este serviço adicional, melhorar o conjunto de informações disponíveis, contribuindo para melhorar a capacidade de decisão.


alt Carta Leite - fevereiro 2011 (Clique aqui)

Mato Grosso do Sul / Conseleite

Conseleite
Conselho dos produtores rurais e das indústrias


É um Conselho formado pelo mesmo número de representantes dos produtores rurais e das indústrias. Trata-se de uma associação civil, regida por estatuto e regulamentos próprios.

alt Valores de referência jan/fev 2011
 *valores obtidos nas resoluções mensais da diretoria do CONSELEITE-MS


QUAL O PRINCIPAL OBJETIVO DO CONSELEITE - MATO GROSSO DO SUL?
A busca pró-ativa de soluções conjuntas, pelos produtores rurais e indústrias, para problemas comuns do setor lácteo sul-mato-grossense, por meio de uma relação mútua de confiança que visa uma maior clareza no estabelecimento de preços de referência para a matéria-prima leite.

QUEM PARTICIPA E COMO FUNCIONA O CONSELEITE - MATO GROSSO DO SUL?
Os membros do conselho (20 representantes) são indicados, paritariamente, pela FAMASUL (bancada rural) e pelo SILEMS (bancada industrial). Eles se reúnem mensalmente, para avaliar e aprovar os preços de referência da matéria-prima leite.
Como órgãos de apoio há uma secretaria executiva e a Camatec – Câmara Técnica e Econômica, composta por 4 representantes dos produtores rurais, 4 representantes da indústria e 4 professores universitários (da UFPR e UEMS) – que realiza estudos e pesquisas para subsidiar as decisões do conselho.
O Conselho conta com o apoio da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Leite (CSCPL) e da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo (SEPROTUR).

O QUE SÃO OS PREÇOS DE REFERÊNCIA?
Os preços de referência pretendem representar um valor justo para a remuneração da matéria-prima leite, tanto para os produtores rurais quanto para as indústrias, levando em consideração o volume e a qualidade da matéria-prima.
São divulgados diversos valores de referência, conforme a qualidade e o volume de leite entregue pelos produtores as indústrias. Os valores são divulgados na condição posto propriedade, ou seja, com CESSR (ex-Funrural) a descontar. Mensalmente, por meio de resoluções, o conselho divulga os preços de referência finais para o leite entregue no mês anterior e os preços projetados para o leite a ser entregue no mês em curso.
IMPORTANTE: O preço de referência não é um preço mínimo, nem máximo e não é obrigatório. É uma referência para a livre negociação entre as partes. Cada indústria tem seu próprio mix de produtos o qual influencia a sua capacidade individual de pagamento.

QUAL A IMPORTÂNCIA E A PRINCIPAL UTILIDADE DO PREÇO DE REFERÊNCIA?
Dar maior transparência ao mercado lácteo sulmatogrossense e servir de parâmetro ou referência para a livre negociação entre produtores rurais e indústrias.

COMO SÃO CALCULADOS OS PREÇOS DE REFERÊNCIA DO CONSELEITE - MATO GROSSO DO SUL?
Os cálculos são realizados por instituição de pesquisa (Universidade), mediante um convenio de cooperação técnico-científico, seguindo parâmetros e metodologia aprovada pelo conselho a ser publicada no Manual do Conseleite-MS.
Os valores médios da matéria-prima (leite) são calculados a partir dos preços e dos volumes de venda dos derivados lácteos pelas empresas participantes, dos custos de produção do leite nas propriedades rurais, dos custos de fabricação e comercialização dos derivados, e dos rendimentos industriais.

COMO FOI CALCULADO O CUSTO DE PRODUÇÃO DE LEITE?
Com base em estudo realizado pela Câmara Técnica, a partir de sete sistemas referenciais de produção de leite no Estado de Mato Grosso do Sul. A metodologia de cálculo do custo de produção do leite, que também será publicada pelo Conseleite-MS, considerou a remuneração aos fatores de produção utilizados nas propriedades rurais (custos fixos e variáveis) da mesma forma que a realizada no cálculo dos custos industriais. Os resultados dos custos agrícola e industrial são atualizados e revisados, sempre que necessário, por deliberação do Conselho.

COMO FORAM CALCULADOS OS CUSTOS DE FABRICAÇÃO E DE COMERCIALIZAÇÃO DOS DERIVADOS?
Com base em levantamento censitário realizado pela instituição de pesquisa conveniada junto a todas as empresas participantes, que foi submetido à avaliação e aprovação da Camatec e do Conselho. Os custos de fabricação e comercialização foram determinados para 11 derivados lácteos após ponderação, pelo volume produzido e comercializado, dos diversos tipos de embalagens. O levantamento dos dados considerou um período de 12 meses e foi o mesmo do custo agrícola. A atualização e revisão destes custos também são deliberadas pelo Conselho.

QUAIS OS PARÂMETROS UTILIZADOS PARA AVALIAR A QUALIDADE DO LEITE?
Os parâmetros de qualidade são o teor de gordura, teor de proteína, estrato seco desengordurado, contagem de células somáticas e contagem bacteriana.

O QUE É O LEITE PADRÃO DO CONSELEITE - MATO GROSSO DO SUL?
É um leite de qualidade média do Estado de Mato Grosso do Sul, levando em consideração os parâmetros de qualidade definidos pelo conselho. Um exemplo de leite padrão é o que possui teor de gordura entre 3,31 a 3,40%; teor de proteína entre 2,90 a 2,92%; estrato seco desengordurado entre 8,40 a 8,50%; contagem de células somáticas entre 551 a 600 mil; contagem bacteriana entre 651 a 700 mil e volume entregue de até 100 litros/dia. O Conseleite não sugere valores de referência para leite com qualidade abaixo da normativa 51.

QUAL A PRINCIPAL VANTAGEM PARA O PRODUTOR DE LEITE EM UTILIZAR AS INFORMAÇÕES DO CONSELEITE - MATO GROSSO DO SUL?
A vantagem é ter um referencial de preço (informação) para uma melhor negociação da sua produção. A existência de um referencial de preço para o leite, divulgado por um conselho paritário, também permite ao produtor comparar, ao longo do tempo, seus preços com os valores divulgados, facilitando e melhorando a gestão do seu negócio.

QUAL A PRINCIPAL VANTAGEM PARA A INDÚSTRIA EM UTILIZAR AS INFORMAÇÕES DO CONSELEITE - MATO GROSSO DO SUL?
A vantagem é que facilita as negociações cotidianas da indústria com os seus diversos produtores fornecedores, pela existência de valores de referência da matéria-prima calculados tecnicamente e aprovados por um conselho paritário. Os valores de referência também favorecem a gestão da indústria, quanto à políticas de incentivo à qualidade da matéria-prima e estratégias de venda dos derivados.

QUEM SÃO OS ATUAIS MEMBROS DO CONSELEITE-MS?
Bancada Rural:
• Titulares
– Dario Alves de Souza – FAMASUL
– Paulo Tognini – ABCG-MS
– Aristeu Pereira Nantes – Sindicato de Glória de Dourados
– Denis Afonso Vilela – ASPROLER
– Wilson Igi - GPL
• Suplentes
– Eduardo Correa Riedel – FAMASUL
– Aurora Real – GPL
– Adauto Pelle – COPALEITE
– João Borges dos Santos Junior – Produtor – Sindicato Rural de Terenos
– Adão Roberto M. Biléco – Produtor – Sindicato Rural de N. Al. do Sul
Bancada Industrial:
• Titulares
– Milene de Oliveira Nantes – Tradicional
– Pedro Guerbas Filho – Silems
– Edgar Rodrigues Pereira – Imbaúba
– José Ângelo Marchini – Vencedor
– Helder Israel – Bom Gosto
• Suplentes
– Aloisio Miranda Neivock – Buritama
– Antonio Luiz Nogueira – Camby
– Paulo Arantes Gonçalves – Alvorada
– Hernandes Ortiz – Coopavil
– Luiz Antônio Borges Guilherme – LABORGES
QUEM SÃO OS ATUAIS MEMBROS DA CÂMARA TÉCNICA E DA SECRETARIA EXECUTIVA?
Bancada Rural:
• Alvaro Antonio Kessler – Kessler Consultoria
• Matheus Vieira – Senar/MS
• Rejane Figueiró – Senar/MS
• Richard James Walter Robertson – Sindicato Rural de Rio Verde
Bancada Industrial:
• Helder Israel – Bom Gosto
• João Gilberto Marques Caldeira –Coopavil
• Juliana Lopes – Anhanduí
• Ordenel Rodrigues Monteiro - Imbaúba
Professores:
• José Roberto Canziani – UFPR
• Vania Di Addario Guimarães – UFPR
• Andre Rozemberg Peixoto Simões - UEMS
• Marcus Vinicius Morais de Oliveira - UEMS
Secretaria Executiva:
• Adriana Mascarenhas - FAMASUL

Palestra Maxi Leite

Palestra Maxi Leite
Programa de qualidade

O Núcleo de Criadores de Girolando do Mato Grosso do Sul promoveu uma excelente palestra sobre o Maxi Leite - programa de qualidade e produtividade leiteira, da Schering-Plough, que foi ministrada por Cristiane Azevedo – médica veterinária e coordenadora técnica da Schering Plough Sáude Animal.

Clique aqui, para fazer o download da palestra.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Campo Grande/MS - Cursos

Curso Operação e Manutenção de Ordenhadeira Mecâninca.
Manutenção dos equipamentos de ordenha mecânica.

Com o objetivo de contribuir com o desenvolvimento leiteiro no estado do Mato Grosso do Sul, o NÚCLEO DOS CRIADORES DE GIROLANDO DE MS em parceria com o SENAR (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) vem buscando criar um calendário anual de cursos possibilitando capacitar e oferecer alternativas de agregação de valor ao leite.

Os nossos resultados estão diretamente ligados ao desempenho do nosso conhecimento.

CURSO OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DE ORDENHADEIRA MECÂNICA
DATA : 21/03/2011 a 22/03/2011
CARGA HORÁRIA: 16 HORAS



Objetivo Geral : Efetuar a manutenção e operar de modo eficaz os equipamentos de ordenha mecânica.

Pré-Requisito: Ter 18 anos. Ter no mínimo o 5º ano do ensino fundamental. Sugere-se que o participante seja trabalhador na bovinocultura de leite e que participe dos outros eventos da área.

Conteúdo:
  • Introdução
  • Medidas de segurança no trabalho, meio ambiente, novas exigências profissionais e mercado de trabalho.
  • Rotina ideal de ordenha
  • Sistema de produção de vácuo
  • Sistema de Lubrificação
  • Controle de vácuo
  • Pulsação
  • Coletores
  • Teteiras
  • Tubos de borracha e anéis de vedação
  • Sistema de transporte e leite e limpeza
  • Tubos e adaptadores
  • Manutenção do sistema de ordenha
  • Limpeza do equipamento

Os interessados devem entrar em contato urgente pelo e-mail nucleogirolandoms@gmail.com ou pelo telefone (67) 3042-3679.


Agradecendo a todos que já se cadastraram, apoiando novas iniciativa.
Obrigada pela participação.
Somente em parcerias, podemos seguir !!!!

Mato Grosso do Sul / Conseleite

Conseleite divulga primeira tabela de valores de referência para o produto em MS.
Valores de referência para o leite produzido no Estado.

O Conseleite/MS (Conselho Paritário entre Produtores e Indústrias de Leite de Mato Grosso do Sul) já divulgou as duas primeiras tabelas (janeiro e fevereiro) com os valores de referência para o leite produzido no Estado. Para o mês em curso, os valores para o litro do leite, considerando a qualidade e a quantidade do produto, são de R$ 0,5441 (abaixo do padrão), R$ 0,5713 (padrão) e R$ 0,6284 (acima do padrão) para produção de até 100 litros por dia, enquanto para produção acima de mil litros por dia os preços são de R$ 0,6284 (abaixo do padrão), R$ 0,6570 (padrão) e R$ 0,7141 (acima do padrão).

O presidente do Conseleite, Edgar Pereira, destacou que até o dia 20 de cada vez uma nova tabela será divulgada pela entidade. “A previsão do mês em curso é baseada nos dez primeiros dias e o produto sem aproveitamento não é contemplado pela tabela”, disse, lembrando que a estruturação do conselho utiliza a expertise da UFPR (Universidade Federal do Paraná), que desenvolveu a metodologia para implantação da entidade no Paraná.

Edgar Pereira completa ainda que a tabela não visa estabelecer o preço do produto, pois, cada indústria tem o seu mix, sendo apenas uma referência para os dois elos da cadeia produtiva do leite. Além disso, afirma, os custos de fabricação e comercialização dos derivados foram calculados com base em levantamento censitário realizado pela instituição de pesquisa conveniada junto a todas as empresas participantes, que foi submetido à avaliação e aprovação da Camatec e do Conselho. “Esses custos foram determinados para 11 derivados lácteos após ponderação e pelo volume produzido e comercializado dos diversos tipos de embalagens. O levantamento dos dados considerou um período de 12 meses e foi o mesmo do custo agrícola”, acrescentou.
“Essa tabela permite uma transparência maior a toda a cadeia produtiva, evitando conflito entre os elos”, analisou a presidente do Silems (Sindicato das Indústrias de Laticínios de Mato Grosso do Sul), Milene de Oliveira Nantes, lembrando que, geralmente, os laticínios recolhem o leite em um determinado mês e fazem o pagamento no mês subseqüente. “Por isso, o Conseleite vai divulgar duas tabelas, a do mês anterior fechada e a previsão do mês em curso, assim, tanto a indústria, quanto o produtor rural podem se programar”, disse.

Fonte: Campo Grandenews

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Campo Grande/MS

Reunião Mensal
Janeiro 2011

Prezado(a) Girolandista!

Temos a satisfação de convidá-lo para a reunião mensal do Núcleo dos Criadores de Girolando de Mato Grosso do Sul que será realizada no dia 14/02/2011(segunda-feira), às 18h30, no auditório da ACRISSUL.

Precisamos do empenho de todos, mesmo de outras cidades e também amigos do Girolando para decidirmos os caminhos a percorrer em 2011.

Na pauta da reunião estão os seguintes assuntos:

- Expogrande 2011;
- Assuntos gerais.



Palestra

Tema : Maxileite- Programa de Qualidade e Produtividade Leiteira
Cristiane Azevedo – Méd. Veterinária e Coordenadora Técnica da Schering Plough Sáude Animal

Programa Maxi-Leite® (Programa de Qualidade de Leite Schering-Plough)

http://www.maxileite.com.br/


LOCAL: Auditório da ACRISSUL
DATA : 14/02/2011

HORÁRIO: 19H30
Nova Sede
Conquista de um novo espaço.

Recentemente o grupo deu mais um grande passo, ao conquistar um espaço no Parque de Exposições Laucídio Coelho, em Campo Grande (MS). O ato de lançamento da nova sede foi realizado no dia 10 de Dezembro de 2010, no auditório da Associação dos Criadores e contou com a presença de inúmeros girolandistas de vários municípios, além do presidente da Acrissul, Francisco Maia.

"Esta sede representa a conquista de um novo espaço aonde os girolandistas irão se encontrar. A princípio, o local será bastante utilizado durante as feiras e reuniões do grupo, porém, a ideia é fazer as adequações necessárias para que a área funcione durante todo o ano", comentou a presidente Dra. Aurora Real.

Otimista, a diretoria garante que em 2011 o trabalho será mais intenso, não só em relação aos eventos e exposições como também na busca por novos associados.

"Dentre os inúmeros objetivos, podemos citar a conquista de mais sócios para expandir a raça no Estado e a participação em várias exposições ranqueadas", mencionou Dra. Aurora.